Open Source Sofware

Trânsito

ONU destaca Aracaju como a capital brasileira que mais reduziu mortes no trânsito




24.09.19 21:57

O município de Aracaju é destaque mais uma vez em âmbito mundial. Nesta segunda-feira, 23, a Organização das Nações Unidas (ONU) concedeu ao Brasil o Prêmio da Força-Tarefa Interagências por ações voltadas para redução de mortes no trânsito, devido à implementação do Programa Vida no Trânsito (PVT) em todas as capitais e em mais 26 municípios. Entre 2010 e 2017, o país reduziu em 17,4% o número de mortes por acidentes de trânsito, de 42.844 para 35.374 óbitos e, entre as capitais, a maior redução foi registrada em Aracaju, município que reduziu em 55,8%.



O PVT foi implantado em Aracaju em 2011, na primeira gestão do prefeito Edvaldo Nogueira, época em que as estratégias do programa foram articuladas na capital, o que possibilitou, sobretudo, a estruturação das ações que são desenvolvidas até hoje e que, nos últimos anos, têm sido fortalecidas com o Planejamento Estratégico da gestão.


O principal fator a garantir os resultados positivos do Programa é a integração entre as secretarias e os órgãos municipais e, até mesmo, estaduais, os quais possuem metas ainda traçadas desde os primeiros anos de implantação do PVT. Assim, em Aracaju, o programa conta com a associação entre a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), o Departamento Estadual de Trânsito (Detran/SE), a Secretaria Estadual de Saúde (SES), o Conselho Municipal de Saúde, a Universidade Federal de Sergipe (UFS), as empresa municipal de Obras e Urbanização (Emurb) e de Serviços Urbanos (Emsurb), a Guarda Municipal de Aracaju (GMA), e a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/SE), representada pelo Centro de Estatística.

“É fundamental pensarmos em um planejamento estratégico, bem alinhado, que contemple ações de educação para o trânsito, de fiscalização, de engenharia, de estrutura porque um trânsito seguro precisa de pessoas conscientes e bem educadas para ele, uma fiscalização que saiba coibir abusos, ruas e avenidas que possuam mobilidade adequada para assegurar o fluxo seguro de veículos e pedestres. Sempre colocamos a educação para o trânsito como uma das ações mais importantes, até porque muitos dos acidentes estão relacionados ao comportamento humano, à falha, são acidentes que poderiam ser evitados se houvesse mais responsabilidade por parte dos condutores”, explica a coordenadora do programa, Lidiane Gonçalves, ao destacar que a união entre setores faz com que o programa tenha amplitude e, sobretudo, eficácia.

Com a estruturação, os avanços seguem em Aracaju. Enquanto entre 2010 e 2017 a redução no número de mortes no trânsito foi de 55,8/%, os últimos dados, referentes aos anos de 2017 e 2018, apontam que os óbitos caíram de 54 para 44, representando uma queda de 18,5% no período. Na capital sergipana, o PVT é coordenado pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS) e, por um motivo muito objetivo, como ressalta Lidiane.

“Os acidentes de trânsito impactam diretamente a saúde e a qualidade de vida da população, gerando mortes prematuras, aumento custos assistenciais, ocasionando internamentos, gastos no serviço de saúde, muitas pessoas sequeladas. No entanto, só as equipes de Saúde não dariam conta de trabalhar essas questões. Todo ano temos os mesmos fatores de risco que são velocidade em excesso, uso do álcool e direção, uso do celular. São comportamentos que se repetem e, por isso, as estatísticas continuam alarmantes e, também, envolvendo, na maioria maciça, pessoas do sexo masculino, em idade produtiva, e o grupo de risco é o de motociclistas, seguido de pedestres e ciclistas. Por isso é tão importante a integração dos órgãos”, reforça a coordenadora.

Nessa integração, a SMTT, junto à Secretaria Municipal da Saúde, atua pela educação no trânsito. Pela SMS, o trabalho é desenvolvido com o projeto “Um Minuto para o Trânsito”, realizado em salas de espera de unidades de saúde e hospitais municipais, a partir de palestras e orientações. Já por meio da SMTT, as equipes atuam diretamente nas vias da cidade, em escolas e, até mesmo em empresas.



Segundo o superintendente da SMTT, Renato Telles, o prêmio é o resultado de um esforço amplo. “Hoje, atuamos na Semana do Trânsito, por exemplo. Temos ainda o Maio Amarelo, evento em que as ações são intensificadas, mas, as atividades acontecem o ano todo. Educação para o Trânsito, por exemplo, faz parte do Planejamento Estratégico da gestão, responde a uma demanda da cidade, um trabalho, sobretudo, de salvar vidas”, salientou.



“A SMTT realiza ações diárias na vias, abordando diretamente os condutores e pedestres para terem consciência e atenção maior. Fazemos palestras em empresas. Com o Grupo de Teatro Cones, vamos às escolas falar sobre trânsito de forma lúdica, tudo isso com a ideia de que as pessoas possam reproduzir as informações que passamos. No trabalho direto nas vias, recorremos às estatísticas que apontam os locais onde há o maior número de acidentes com vítimas. Atualmente, por exemplo, o foco está nas avenidas Tancredo Neves, José Carlos da Silva e Beira Mar, sempre pensando na prevenção”, destaca o integrante da Coordenação de Educação para o Trânsito da SMTT (CET), Diego Soares.



A coordenadora do PVT afirma, ainda, que nenhuma das ações é realizada por acaso. “Aracaju, inclusive, tem avançado em qualidade de informação e isso é muito importante para resolver essa problemática porque isso só é possível quando a gente planeja, previne, a partir do momento em que a gente se baseia no dado, na realidade da cidade. O objetivo é subsidiar gestores para o fortalecimento de ações preventivas. No entanto, a responsabilidade não é somente da gestão municipal, é de todos”, completou.



telefones-home620

banner-fala-cidadao3