Open Source Sofware

Trânsito

Projeto Vida no Trânsito apresenta plano de ações para 2017




08.08.17 19:15

 

Reunião aconteceu no auditório da SMTT (Foto: Ascom/SMTT)

O Comitê do Projeto Vida no Trânsito (PVT) apresentou em reunião na tarde dessa terça-feira, 8 de agosto, no auditório da SMTT, o Plano Municipal de Ações de Promoção da Segurança no Trânsito em 2017. O documento será enviado para o Ministério da Saúde, que estimula os municípios brasileiros e subsidia a realização de ações.


A coordenadora do PVT em Aracaju, Lijane Santos, da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), explica que o plano de ações para 2017 é baseado nos dados obtidos em 2016. “Ano passado nós lançamos o primeiro Boletim de Vigilância em Saúde no Trânsito de Sergipe, a partir dos dados coletados em 2015. Esse ano, nós criamos um plano de ações de prevenção a partir dos dados de 2016 e da nossa experiência adquirida nesses mais de dois anos do projeto”, explica.


A partir dos dados e da análise dos casos, o PVT concluiu que os fatores que oferecem mais riscos são a velocidade, o álcool, o desrespeito à sinalização e a infraestrutura. Considerando esse e os outros resultados obtidos, o Plano de Ações reúne as atividades de conscientização desenvolvidas por cada órgão membro do PVT e propõe outras. A SMTT, por exemplo, já desenvolveu mais de 120 ações educativas esse ano e está montando uma programação para a Semana Nacional de Trânsito, de 18 a 25 de setembro.


A professora de Enfermagem da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Edilene Curvelo Hora Mota, fala sobre a disciplina criada após o Projeto Vida no Trânsito. “Eu ministro uma disciplina de ‘Prevenção de Acidentes de Trânsito e Suporte Básico de Vida’. Trata-se de uma disciplina optativa disponível para todos os estudantes da UFS. São 40 vagas que são totalmente preenchidas todos os períodos em que é ofertada. Ao fim do período, que inclui aulas ministradas por profissionais da SMTT, PRF e Samu, os alunos entendem os riscos e repassam a mensagem de conscientização”, comemora.


O agente de Trânsito, Diego Soares, destaca a importância do Projeto. “A equipe analisa cada acidente com vítima fatal ocorrido em Aracaju e cada dado fornecido pelos nove órgãos que compõem o projeto. A partir disso, nós conseguimos saber onde, qual horário e por qual motivo acontece mais acidentes no município. Essa estatística possibilita o desenvolvimento de um trabalho específico, localizado e mais eficaz”, explica Diego.



telefones-home620

banner-fala-cidadao3